O Director Geral do Fundo de Apoio Social (FAS), Belarmino Jelembi, disse, a propósito das metodologias de intervenção desta instituição junto das comunidades angolanas, que “as coisas não podem ser feitas de qualquer maneira”.
Belarmino Jelembi falava durante a abertura da formação dirigida aos quadros do FAS, que decorre de 08 a 12 de Fevereiro de 2021, na Escola Nacional de Administração e Políticas Públicas (ENAPP).
“O investimento no conhecimento e no rigor são elementos que estamos a colocar como essenciais para a prossecução dos objectivos da instituição”, garante o Director Geral do FAS, que acrescenta: “é por isso decidimos realizar este ciclo formativo que está distribuído em 3 regiões, obedecendo as exigências e as limitações impostas pelo COVID e vários outros elementos que se trazem aqui para realizarmos então um ciclo que envolva toda a equipa da instituição”.
Neste momento, o FAS, que é uma agência estatal de combate à pobreza, tem o mandato de implementar nas comunidades angolanas os programas de Desenvolvimento Local (PDL), o Programa de Fortalecimento da Protecção Social – KWENDA, o Programa de Fortalecimento da Resiliência no Sul de Angola, (FRESAN), entre outros. Por isso, há a necessidade de aprimorar cada vez mais os mecanismos de intervenção, nomeadamente no que à metodologia diz respeito.
Aberta pelo Secretário de Estado do Ministério da Administração do Território para as Autarquias Locais, Márcio Daniel, em representação do Ministro da Administração do Território, Marcy Lopes, a formação é dirigida aos Chefes dos Departamentos Executivos Provinciais e Técnicos de Luanda, Cuanza-Sul, Benguela, Zaire e Bengo. Esta é a segunda formação do género promovida pelo FAS este ano, depois da que decorreu em Janeiro na Província do Huambo e que teve a participação dos técnicos das Províncias do Huambo, Bié, Cuando-Cubango, Cunene, Bié e Huíla.