No quadro do primeiro ciclo de formação de que os seus quadros estão a beneficiar de 18 a 22 de Janeiro, no Huambo, com vista a fortalecer a instituição, o Fundo de Apoio Social (FAS) realizou, no dia 21, um encontro com as cooperativas Twapandula e Flor do Campo, sedeadas na comuna do Lepi, Município de Longonjo, que partilham a gestão de caixas comunitárias.

A caixa comunitária é um fundo criado e gerido pelas cooperativas para financiar actividades geradoras de rendimento cujas regras e procedimentos são colectivos. A caixa comunitária Twapandula, por exemplo, é composta por 62 membros, entre os quais 60 mulheres.

O encontro, que teve lugar no Lepi, visou perceber como aquelas cooperativas têm trabalhado durante os quase 20 anos de existência, desde o registo de terra, quadro orgânico e organização logística para a produção e comercialização dos produtos, pontos positivos e de estrangulamento da sua atividade e perspectiva de futuro. A visita é a “componente prática” de aspectos teóricos sobre inclusão produtiva, cooperativismo e associativismo, desenvolvimento comunitário que os Chefes de Departamento e Técnicos estão a beneficiar, tudo isto no contexto das comunidades. A equipa do FAS foi liderada pelo seu Director Geral, Belarmino Jelembi, as duas Directoras Gerais Adjuntas e os Chefes de Departamentos Provinciais e Técnicos do Huambo, Bié Namibe, Cunene, Huíla e Cuando-Cubango.

O FAS tem vindo a implementar o Programa de Fortalecimento da Protecção Social – KWENDA, com uma forte componente de Inclusão Produtiva, e o Projecto de Desenvolvimento Local (PDL), entre outros, com vista a combater a pobreza. E toda a sua acção ocorre nas comunidades, havendo por isso a necessidade de perceber toda a lógica de organização das mesmas cooperativas, sobretudo como funcionam as caixas comunitárias.