Em contagem regressiva para proceder ao primeiro pagamento das transferências sociais monetárias, destinadas às famílias angolanas em situação de maior vulnerabilidade, a equipa do Fundo de Apoio Social (FAS), acompanhada de Agentes de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário (ADECOS), trabalha a todo vapor, num regime “no stop”, criando as condições necessárias para o sucesso da empreitada. 

Tudo está a ser feito para contemplar as cinco mil famílias na Fase Piloto, como inicialmente prometido, sendo que amanhã, 30 de Maio, serão contempladas as famílias do município do Nzeto, província do Zaire, onde foram cadastradas quase 1.800 agregados familiares que, durante 12 meses, irão receber 25 mil Kz trimestralmente, valor equivalente a 8.500 Kz/mês.

A fase Piloto, saliente-se, passou a fasquia das cinco (5) mil famílias previstas, estando neste momento perto das oito mil (8.000) cadastradas nos cinco municípios da fase Piloto, que contempla, além do Nzeto, os municípios de Cacula (Huíla), Cambundi Catembo (Malanje), Ombadja (Cunene) e Cuito Cuanavale (Cuando Cubango).

Concluído o processo de organização dos multicaixas, agregados aos beneficiários, testagem, e com vista a não deixar escapar pormenores, a equipa do FAS está envolvida num trabalho de permanente apuramento, fase denominada “controlo de qualidade”, consubstanciada em corrigir eventuais erros, além de certificar-se de que, em termos de logística, está tudo como previsto para o lançamento.

Liderada pelo seu director, Belarmino Jelembi, e a coordenadora das Transferências Sociais Monetárias, Helena Farinha, a equipa do FAZ, que tem o seu “quartel general” na Maternidade do Nzeto, conta igualmente com a colaboração permanente da administração municipal do Nzeto, do Governo Provincial do Zaire, do Ministério da Acção Social Família e Promoção da Mulher (MASFAMU), bem como do BFA, o banco com o qual o FAS fechou o primeiro acordo de fornecimento de cartões multicaixa.

O FAS conta ainda com a colaboração permanente dos membros do Grupo Técnico de Apoio ao Programa de Fortalecimento do Sistema Nacional de Protecção Social (PFSNPS), denominado KWENDA, iniciativa do Governo de Angola, que, além das Transferências Sociais Monetárias (TSM) às famílias mais pobres, prevê a criação de 19 Centros de Acção Social Integrado (CASI), Acções de Inclusão Produtiva e Apoio ao Cadastro Social Único.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui