O Programa de Fortalecimento da Protecção Social – KWENDA, está pronto para implementar a Inclusão Produtiva na Província do Bié, garantiu o Director Geral do Fundo de Apoio Social (FAS), Belarmino Jelembi, no final do encontro que manteve com responsáveis de projectos agrícolas, nomeadamente cooperativas, associações e pessoas singulares do Município do Andulo.

No final do trabalho de dois dias, e acompanhado do Chefe de Departamento Provincial, Rizoni Chivembe, e do Administrador Municipal Adjunto para o Sector Político e Social, Justino Cassoma Covi, assegurou que, neste momento, resta apenas afinar alguns pormenores para a implementação da Inclusão Produtiva, cujo financiamento deve acontecer ainda em Dezembro de 2020, ou no início de 2021.

Programa do Estado angolano, o KWENDA pretende financiar iniciativas económicas e produtivas, viáveis, das famílias mais pobres e em situação de vulnerabilidade. Tudo será feito em concertação com o governo provincial e as administrações locais. Quanto ao financiamento, será disponibilizado tendo em conta o potencial da zona, habilidades das populações locais, bem como a sua vocação e experiência de trabalho.

Durante a sua estada não faltaram encontros institucionais, tendo-se reunido com o governador provincial do Bié, Pereira Alfredo, com quem abordou a importância do Programa KWENDA, bem como a implementação do Projecto de Desenvolvimento Local (PDL) e a sua importância para a qualidade de vida das populações locais. Os dois programas estão a cargo do FAS.  

Mas antes, reuniu-se com a administradora municipal do Andulo, Celeste Adolfo, com quem abordou, igualmente, a implementação das quatro componentes do KWENDA enquanto mais-valia para a província, a viabilização da Inclusão Produtiva e a criação, já nos próximos dias, do Centro de Acção Social Integrado (CASI).

O Director Geral do FAS esteve, ainda, na comuna de Cassumbi, a 25 quilómetros da sede municipal do Andulo, num encontro com o administrador local, Carlos Chipongue, com quem abordou particularmente a Inclusão Produtiva e o cadastramento das famílias. No encontro com a cooperativa dos ex-militares, 04 de Fevereiro, chamou atenção para que as populações estejam organizadas a fim de terem melhor envolvimento ao programa, entendam-no e o possam fiscalizar.

Neste momento, realça, estamos apostados em avançar, de modo consistente, com as acções de Inclusão Produtiva, tendo sido identificamos vários produtores com potencial importante, estando a discutir a maneira de aumentar a produtividade com vista a melhorar a qualidade de vida das pessoas.

As preocupações apresentadas pelas populações locais prendem-se com a falta de fertilização, mas o responsável alerta para que se tenha, igualmente, em conta a organização dos produtores e a sua capacitação, para que o apoio de que irão beneficiar perdure no tempo.

Programa deve ser fiscalizado

Falando à imprensa no final de vários contactos feitos com vista a implementar a Inclusão Produtiva, o responsável do FAS alertou para que as populações entendam o programa e o fiscalizem. “É importante que haja um profundo e permanente diálogo com as comunidades, porque só assim é que vão entender o programa, participar com ideias e fiscalizarem-no”, sublinha, reiterando que “o êxito de um programa desta natureza está intimamente relacionado com a possibilidade de as famílias fiscalizarem o trabalho, sabendo se os meios anunciados estão a ser disponibilizados às pessoas e em tempo oportuno”. 

Quanto aos potenciais beneficiários, fez saber que estes resultarão dos mais de 45 mil cadastramentos previstos no Andulo, de onde sairão os beneficiários das Transferências Sociais Monetárias, que irão receber 25.500 Kz trimestralmente, e da Inclusão Produtiva.

O KWENDA é um programa do Executivo angolano que visa criar políticas de apoio às famílias mais vulneráveis e em situação de pobreza no País. Avaliado em 420 milhões USD, é financiado em 320 milhões USD pelo Banco Mundial, sendo os outros 100 milhões USD provenientes do Tesouro Nacional.