O Programa de Fortalecimento da Protecção Social – KWENDA, está a fazer recurso ao uso de helicópteros para chegar às zonas de difícil acesso no Município do Luquembo, Província de Malanje, graças à colaboração e apoio da Força Aérea Nacional e do Governo da Província de Malanje.

No Luquembo, o Programa cadastrou 9570 Agregados Familiares. A operação está a ser liderada pelos Chefes de Departamentos Provinciais do FAS nas Províncias de Malanje, Gomes Golambole, do Cuanza Norte, Leonel Baptista da Silva, e da Lunda Norte, João do Nascimento. Conta igualmente com a colaboração dos Agentes de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário (ADECOS), Técnicos da Acção Social e de Técnicos da Administração Municipal.

PROGRAMA JÁ CADASTROU 377.451 AGREGADOS FAMILIARES

Da iniciativa do Estado angolano, o KWENDA visa apoiar as famílias mais pobres e em situação de vulnerabilidade, até ao momento, cadastrou, em 17 Províncias do País, 377.451 Agregados Familiares desde Maio de 2020, faltando a Província do Uíge, onde se prevê iniciar no primeiro trimestre de 2021 e cadastramento 24.480 Agregados Familiares, sendo 11.960 no Município de Cangola e 12.520 no Município do Songo.

O Programa KWENDA contém quatro componentes, a saber:

1 – Transferências Sociais Monetárias, que visa atribuir a cada Agregado Familiar uma renda de 25.500 Kz por trimestre. Até ao momento, forma pagas 5774 Agregados Familiares de 10674 cadastrados. Ainda sobre o pagamento, além do pagamento via multicaixa, o KWENDA inaugurou o pagamento por telefone, tendo sido a primeira experiência no País sobre “Mobile Money”. Cada família recebe um telefone “laranjinha” através do qual, com ajuda dos Agentes de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário, poderá usar os mecanismos de obtenção do seu pagamento. O pagamento em cash ocorrerá em casos excepcionais.

2 – Inclusão Produtiva, que é o financiamento de iniciativas económicas viáveis das famílias;

3 – Municipalização da Acção Social, que prevê a criação de Centros de Acção Social Integrado (CASI), tendo sido criados quatro, no Nzeto, Cacula, Ombadja e Cuito Cuanavale.

4 – Reforço do Cadastro Social Único, plataforma que irá reunir os dados dos cidadãos em situação de vulnerabilidade para que possam beneficiar das iniciativas do Executivo.

Avaliado em 420 milhões USD, é financiado em 320 milhões USD pelo Banco Mundial, sendo os outros 100 milhões USD provenientes do Tesouro Nacional.