O Município do Seles, na Província do Cuanza-Sul, já cadastraou 20 mil  Agregados Familiares, no âmbito do Programa de Fortalecimento da Protecção Social – KWENDA, iniciativa do Estado angolano que visa criar políticas de apoio às famílias mais pobres e em situação de vulnerabilidade no País.
Até ao final do ano 2020, o Seles prevê atingir 35 mil agregados Agregados Familiares.

Sem rodeios em relação ao alcance dos objectivos preconizados, a Chefe de Departamento Provincial do Cuanza-Sul, Carolina Aguiar, assegura que os objectivos serão alcançados.
O  KWENDA tem quatro componentes, nomeadamente as Transferências Sociais Monetárias, que visa atribuir a cada Agregado Familiar uma renda de 25.500 Kz por trimestre, Inclusão Produtiva, que é o financiamento de iniciativas económicas viáveis das famílias seleccionadas no Programa.
A Municipalização da Acção Social, que prevê a criação de Centros de Acção Social Integrados (CASI), estando, já em funcionamento, um no Nzeto, um na Cacula e outro no Cuito Cuanavale, e o Reforço do Cadastro Social Único, plataforma que irá reunir os dados dos cidadãos em situação de vulnerabilidade para beneficiarem das iniciativas do Executivo, são as demais componentes.
Avaliado em 420 milhões USD, é financiado em 320 milhões USD pelo Banco Mundial, sendo os outros 100 milhões USD provenientes do Tesouro Nacional.