O Município do Mungo, Província do Huambo, está em processo acelerado rumo à implementação da Inclusão Produtiva, componente do Programa de Fortalecimento da Protecção Social – KWENDA, que visa financiar as iniciativas económicas de cidadãos pobres ou em situação de vulnerabilidade.

Na última semana, o Director Geral do Fundo de Apoio Social (FAS), Belarmino Jelembi, esteve reunido com cooperativas e associações agrícolas do Mungo para juntos encontrarem as vias mais rápidas e seguras de implementação da Inclusão Produtiva naquela circunscrição do País. Durante os encontros, Belarmino Jelembi informou os passos já dados para que o programa KWENDA possa cumprir os seus objectivos.
Da parte dos cooperantes e associativos, emergiram preocupações como a necessidade local de fazer recurso às moto-bombas, no sentido de facilitar a irrigação dos campos agrícolas. O FAS, instituição que tem o mandato de operacionalizar o KWENDA, promete satisfazer a necessidade de apoiar os camponeses com moto-bombas e outros recursos para que possam aumentar a sua produção. O apoio passará, ainda, pela assistência técnica.

O KWENDA é um programa do Executivo angolano que visa criar políticas de apoio às famílias mais vulneráveis e em situação de pobreza no País. Além da Inclusão Produtiva, o KWENDA tem outras três componentes, nomeadamente as Transferências Sociais Monetárias, que visa atribuir a cada Agregado Familiar uma renda de 25.500 Kz por trimestre, a Municipalização da Acção Social, que prevê a criação de Centros de Acção Social Integrado (CASI), estando, já a funcionar, um no Nzeto (Zaire) e outro na Cacula (Huíla), e o Reforço do Cadastro Social Único, plataforma que irá reunir os dados dos cidadãos em situação de vulnerabilidade para beneficiarem das iniciativas do Executivo.
O Programa está avaliado em 420 milhões USD e é financiado em 320 milhões USD pelo Banco Mundial, sendo os outros 100 milhões USD provenientes do Tesouro Nacional.