O Programa de Fortalecimento da Protecção Social “KWENDA”, iniciativa do Executivo angolano que visa apoiar as famílias mais pobres e em situação de vulnerabilidade, iniciou, no dia 24 de Outubro, no Município do Quiculungo, Província do Cuanza-Norte, as Transferências Sociais Monetárias pagas por telefone. Em Quiculungo, o KWENDA está a beneficiar mais de dois mil Agregados Familiares, tendo, o dia, sido marcado pela entrega dos primeiros 31 telefones, todos carregados com saldo equivalente a 25.500 Kz, que depois foram convertidos em “dinheiro vivo”, entregues por um agente autorizado. Enquadrado na fase da expansão do Programa, que inclui 15 novos Municípios, o pagamento por telefone é inédito no País.O pagamento é feito por intermédio de um código enviado por mensagem para o telefone do beneficiário, atribuído pelo Programa, e com o qual se dirige a qualquer agente autorizado da companhia de telefonia UNITEL, para levantamento do respectivo valor.

INCLUSÃO DIGITAL

Os telefones estão revestidos de aplicativos modernos de acesso às redes sociais, câmara e rádio, atribuídos pelo Programa aos beneficiários, permitindo, desta forma, a sua inclusão digital. Além da atribuição dos telefones, iniciou, igualmente, a criação, nas comunas e aldeias sem ligação à rede eléctrica, de Pontos de Recarga, através da atribuição a alguns beneficiários identificados com capacidade de criação de renda, de Kits de Energia Foto Voltaica e que servirão para carregamento dos aparelhos nas comunidades. Nesta perspectiva, o dia ficou ainda marcado pela entrega de um kit de painel solar, prevendo-se, nos próximos dias, a entrega de 20 kits. Para assistência técnica e melhor uso dos equipamentos, os seleccionados beneficiaram de um treinamento realizado por uma empresa especializada.

INCLUSÃO PRODUTIVA

Com este passo, pretende-se, igualmente, dinamizar pequenos negócios, promovendo, desta forma, a inclusão produtiva dos cidadãos, como, de resto, espelha o Programa na sua componente de Inclusão Produtiva, com o qual se pretende incentivar a actividade económica local. Ressalta-se que nos cinco Municípios da fase piloto, Nzeto, Cacula, Cuito Cuanavale e Ombadja, as famílias já receberam dois pagamentos, conforme previsto no Programa. Além das Transferências Sociais Monetárias, o KWENDA tem ainda as componentes da Inclusão Produtiva, Municipalização da Acção Social através da criação dos Centros de Acção Social Integrados (CASI) e o Fortalecimento do Cadastro Social Único.

Está avaliado em 420 milhões USD, sendo 320 milhões USD financiados pelo Banco Mundial e os outros 100 milhões USD, provenientes do Tesouro Nacional.O KWENDA é operacionalizado pelo FAS, agência governamental, dotada de personalidade jurídica, autonomia financeira e administrativa, que, em coordenação com outros programas de combate à pobreza, contribui na promoção do desenvolvimento sustentável e redução da pobreza.