Com vista a aferir a transparência das aquisições do Fundo de Apoio Social (FAS) referentes aos anos 2017 a 2019, feitas no âmbito do Projecto de Desenvolvimento Local (PDL), está em Angola um grupo de auditores indepenentes provenientes do Quenia e pertencente a empresa Sigmund Peak International, LTD. A Área de Procurement, ou área das regras e procedimentos, é o primeiro alvo a ser analisado.

O FAS é uma agência governamental, dotada de personalidade jurídica e autonomia financeira e administrativa. Em coordenação com outros programas de combate à pobreza, contribui para a promoção do desenvolvimento sustentável e redução da pobreza, focalizando a sua acção na demanda da comunidade, dirigindo as suas acções ao investimento social nas áreas de educação, saúde, água e saneamento, infra-estruturas económicas e ambientais. A sua intervenção regista-se nas dezoito províncias, através de escritórios províncias.
A implementação dos programas sob sua responsabilidade conta com o suporte financeiro de diferentes fontes, entre os quais, dotações do Governo de Angola e créditos do Banco Mundial, doações da União Europeia e de outras instituições.